Provérbios 17.17


Certamente, Salomão quando escreveu este verso não fazia ideia dos tempos complicados que viveríamos nem sequer sonhava que este versículo teria tanta serventia para nós.


São milhões de óbitos em todo mundo, pessoas adoecendo por todos os lados e, diariamente, dezenas sendo submetidas a internações hospitalares ao nosso redor. Em meio a notícias difíceis, algumas reconfortantes sobre a melhora de uns e a cura de outros.


A verdade é que, apesar de tudo, em meio ao caos, Cristo tem sido o consolo. Todavia, Salomão deixa claro que, na hora da adversidade, o irmão possui um papel especial.

A passagem evidencia que irmão é aquele que, em situação difícil, aproxima-se para ajudar. Por óbvio, não é recomendável que nos aproximemos fisicamente, visitando e abraçando pessoas. Contudo, o cenário não impede que a mão seja igualmente estendida em favor dos aflitos.


Distanciamento social não é sinônimo de isolamento e exige de nós um esforço no sentido de mantermos contato uns com os outros, mesmo na realidade atual. Ligações, vídeo chamadas e mensagens de texto tornaram-se maçantes, mas são instrumentos de Deus à nossa disposição.


Se Jesus vivesse em nossos tempos, será que Ele se daria por cansado ou, considerando o alcance da internet, agendaria reuniões online para dividir o evangelho e usaria o WhatsApp para ligar e orar pelas pessoas, bem como para enviar mensagens acolhedoras?


Não tenho dúvidas de que a segunda opção, até porque a própria Bíblia sugere que haja apoio mútuo entre as pessoas em uma situação desafiadora.


A questão é a seguinte: neste período, qual auxílio você tem prestado àqueles que estão enfrentando adversidades? Você tem compartilhado o evangelho e orado com e por eles? O que você tem feito a fim de se mostrar disponível?


Confesso que, como pecadora, cometo falhas. Não é sempre que dedico tempo em prol dos irmãos que atravessam momentos delicados.


No entanto, lembro-me de passar um sábado triste no início da pandemia e, depois de esboçar chateação em uma mensagem de texto, receber a ligação de um casal da igreja. Embora não tivéssemos afinidade na época, o casal gastou três horas ao telefone comigo para me ouvir, aconselhar e orar por mim.


Deus foi bondoso e, não só acalmou meu coração em instantes, mas dali fez nascer uma amizade que se sustenta até hoje, em dias em que o relacionamento interpessoal estava prejudicado.


Ore, assim como tenho feito também, colocando-se como um instrumento nas mãos do Senhor, e peça a Ele para torná-lo sensível, ajudando-o a usar os recursos disponíveis para, assim como esse casal, ser um irmão na adversidade.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo