• Pastor Sidney Roberto

Maio, mês da família


Sei que “quem vive de museu é passado”. Também sei que precisamos entender a realidade do mundo, a maneira como pensa o ser humano do século XXI. Mas, recuso me a aceitar o fracasso da família, como sorrateiramente os tempos pós modernos nos venderam.

Hoje, falar de família é pensar em termos como “disfuncional” ou “funcional”, sexismo, gênero, divórcio, feminismo, machismo e tantos outros termos que, em conjunto, conspiram contra a família.

Já passamos da fase da aceitação. Agora estamos no momento literalmente da DESCONTRUÇÃO DO PADRÃO FAMÍLIA.

Portanto, iniciemos em Gênesis. No capítulo 2 percebemos a beleza e a perfeição de Deus em criar o homem e a mulher. Ambos se tornam uma só carne. A família tem o seu início. No decorrer de toda a narrativa bíblica, percebemos, não apenas o ataque do diabo à família, mas o descuido do próprio homem em relação à família.

Não é à toa que adultério é o pecado mais mencionado no Antigo Testamento e o segundo mais mencionado no novo testamento. Junto à esta tragédia, poligamia, omissão paterna, ausência de padrões de liderança minaram a imagem da família.

Não é o “mundo” o responsável pela destruição da família. A igreja participou ativamente para que perdêssemos o teor Bíblico do lar.

Hoje, as vãs filosofias, a arte, e os defensores de classes “enxurram” a sociedade com uma imagem de que não mais necessitamos do padrão familiar. Homem não é homem, posso ter quantos relacionamentos eu quiser, posso ser crente e feminista, posso ser crente e machista. Essa visão não é Bíblica. É demasiadamente humana e diabólica.

Há ainda como recuperar? Obviamente, mas, assim como uma enfermidade, quanto mais tempo sem tratamento, mais difícil e doloroso o tratamento.

Precisamos voltar à raiz. Isso depende do crer, da fé. Entender e levar à sociedade a entender que a família é criação Divina.

Os crentes precisam voltar a praticar a Bíblia no seu dia a dia. Viver e defender os padrões Bíblicos do casamento.

Devemos nos “encher do Espírito” (Efésios 5:18), de tal maneira que Ele controle o nosso viver, as nossas vontades. Precisamos deixar de lado o falso intelectualismo que traz para dentro da igreja ideias feministas e machistas (as duas correntes não estão em acordo com a Bíblia). Precisamos ser pais atentos. Criar nossos filhos “No caminho” (Provérbios 22:6). Marido Bíblico, amoroso, líder do lar, preocupado em ser o supridor, uma numa visão figurativa, como alguns preferem, o “sacerdote do lar”. Mulheres, amáveis, fiéis companheiras, idôneas, que estejam ao lado. Filhos submissos aos pais, honrando os como um mandamento com promessa.

Será que este “modelo” funciona nos dias de hoje?

Bem, se temos a Deus como o idealizador, formatador e provedor do modelo familiar Bíblico. Sendo Ele perfeito e não tendo revogado a sua ideia original, então A FAMÍLIA AINDA PODE E DEVE DAR CERTO.

Você quer glorificar a Deus? Sendo, esposo, esposa, pai, filho, faça sua família dar certo. Para a glória de Deus. Não desista da luta. Vença em Cristo Jesus.

#família #mêsdafamília #evangelho #Deus

0 visualização
SOBRE NÓS

Nossa igreja é a sua igreja. Existimos para glorificarmos a Deus juntos.

LOCALIZAÇÃO

(13) 3237-1846

 

Av. Sen. Pinheiro Machado, 624

Santos/SP - CEP 11075-002

CONECTE-SE